Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

DESABAFOS

Sou aquela peça imperfeita que não completa o puzzle.

Sou aquela peça imperfeita que não completa o puzzle.

DESABAFOS

15
Ago22

AS ÁRVORES MORREM DE PÉ...


ROMI

IMG_20220815_014627.jpg  Monet, o pintor, apaixonou-se pela água. Disse que queria ser enterrado numa bóia, para poder flutuar por toda a eternidade. Montou um estúdio num barco.

Como se fosse um esforço recorrer à imaginação para pintar o cenário que pretendia, ele próprio criava esse cenário. Chegou a desviar um rio, para a sua propriedade, formando um lago, onde plantou nenúfares que originaram várias telas. 
Lembrei-me disto enquanto assistia, na televisão, ao incêndio na Serra da Estrela. Labaredas desvairadas de um lume que não aquece, gela-nos, petrifica-nos.
Eu, com os olhos no fogo, a sentir-me infeliz, fiz uma analogia a Monet. Imaginei  um pintor louco, sem capacidade de recorrer à imaginação, como se também ele tivesse criado aquele cenário de cinzas, fumo e fogo, e munido do seu cavalete, pintasse um céu imenso da cor do sangue, numa tela que ninguém quer protagonizar. 
José Alberto Carvalho, só nós dois. Falava só para mim. "As árvores morrem de pé." Repetiu. Rodeado de cinza e preto, orlado do vermelho da morte.  
As árvores morrem realmente de pé. Não caiem. Cair é a condição do que está vivo.   Tudo o mais, o que não morre de pé, simplesmente cede à força da gravidade e cumpre os desígnios: ao pó voltarás. 
Visivelmente comovido, José Alberto Carvalho, despede-se desolado, por um fogo que não se apaga com lágrimas. Por uma batalha que parece, mas não está ganha. O pintor louco, já mudou de rumo e foi criar cenários numa outra freguesia, provavelmente perto de si, de mim, de nós.
 
  

IMG_20220815_014925.jpg Eu volto à minha noite calma.  As expectativas em relação ao sono são completamente inexistentes. A noite é longa, mas há-de ter um fim. Este flagelo também...

 

23 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

Em destaque no SAPO Blogs
pub